Ao tentar puxar uma conversa após o atraso da esposa, o rapaz nota que ela não o olha nos olhos. É como se estivesse com vergonha de encará-lo.

Quando fala algo, ela dá respostas curtas, tais como “não sei” ou “não me lembro”, sempre erguendo um pouco a sua voz. A essa altura, quase todos já perceberam que ela não está sendo sincera.

De acordo com o livro “Não minta para mim!”, do psicólogo Paulo de Camargo, a linguagem corporal é capaz de denunciar um mentiroso por meio de pequenos detalhes. Um deles é a voz alterada: “O músculo das cordas vocais fica enrijecido quando a pessoa está sob pressão. O que deixa a voz diferente, geralmente mais alta.”

Pessoas nervosas tendem a ter a voz um pouco esganiçada, às vezes falhando em algumas palavras, ou um pouco mais altas do que o normal. Mexer os ombros inquietamente, esconder as mãos, gaguejar, evitar olhar de frente para o outro. Todos esses podem ser sinais de que a mentira já se instalou.

“Onde estão os seus olhos? Você mantém contato visual? Está nervoso? Fica batendo os pés? Batendo na mesa com os dedos? Fica olhando a porta? Os pés estão firmemente plantados no chão para sair rapidamente assim que possível?” Quem questiona é o tenente Joe Kenda, apresentador do programa “Caçador de Homicídios”, nos Estados Unidos, destacando que o comportamento do mentiroso é previsível por esse comportamento citado.

Além dos sinais incomuns, quando o mentiroso está encurralado, ele parte para o ataque, quase sempre fingindo-se de ofendido pelo outro pensar tal coisa dele.

Tanto homens quanto mulheres emitem esses pequenos sinais quando não estão sendo totalmente sinceros. Se você nota algum deles em seu cônjuge, fique atento.

Diferentes mentirosos

O escritor Renato Cardoso, autor do livro “Namoro Blindado”, explica que existem dois tipos de mentirosos:

- Os compulsivos: Sem ressentimentos ou reservas, utilizam a mentira como hábito. São bons nisso, convincentes, e contam uma mentira atrás da outra por qualquer motivo, inclusive para proteger a mentira anteriormente contada. Eles podem agir assim no trabalho, em casa, na escola ou em qualquer lugar.

- Os medrosos: Embora não mintam frequentemente, adotam essa postura quando a situação lhes parece desconfortável. “Seja vergonha da verdade, culpa, medo de ser confrontado ou enfrentar as consequências, medo de perder bens, a amizade ou amor de alguém — esses mentirosos são aqueles que mentem quando dizer a verdade seria muito, muito mais fácil. Por alguma coisa mal resolvida dentro deles, esse medo é mais forte que a razão”, explica Renato.

Seja por um ou outro motivo, não é possível existir um relacionamento amoroso em que haja mentira. Quando a inverdade é descoberta, é necessário parar tudo e reavaliar com atenção: É vantajoso seguir nessa relação?

Caso seja uma relação de longa data, leia o livro “Casamento Blindado” e saiba como agir. Caso seja um relacionamento novo, saiba o que fazer assistindo ao vídeo abaixo: