No dia 24 de julho, a Alfândega da Receita Federal do Aeroporto de Guarulhos precisou avisar às pessoas que elas precisam ter cuidado para não caírem no “Golpe do Amor”, ou, como também é conhecido, “Golpe Don Juan”.

A trapaça consiste em estabelecer uma relação amorosa com a vítima por meio de redes sociais e, após alguns meses de trocas de mensagens, dizer que precisa de dinheiro para que a Receita Federal libere um presente que foi enviado.

“Esse tipo de golpe é antigo, mas tem se tornado frequente recentemente”, informou o auditor fiscal Ricardo Luís de Mattos. De acordo com ele, os criminosos “se identificam como estrangeiros com boas condições financeiras e aparentam não ter um português muito bom. É um golpe que dura alguns meses, segundo as vítimas, já que eles estabelecem um relacionamento com elas. Alguns dizem que vão enviar os supostos presentes e outros falam que vão enviar até os documentos para agilizar o casamento. Eles dizem que tudo fica retido aqui no aeroporto e que as vítimas precisam pagar uma taxa para que seja liberado. ”

Para que a vítima pague essa taxa – que costuma ter valor entre dois e 20 mil reais – os criminosos enviam o número de uma conta corrente de pessoa física, algo que a Receita Federal jamais faz. A vítima, enganada pelo “amor”, deposita o dinheiro e os bandidos ou pedem mais dinheiro, para pagamentos de novas taxas, ou desaparecem.

Todos os dias, a Receita recebe de três a quatro ligações de vítimas desses golpes.

Vá com calma

Para algumas pessoas, estar solteiro é um problema que precisa ser resolvido o quanto antes. Na pressa de mudar o estado civil, escolhem mal os namorados. Entre vários problemas que podem surgir (infidelidade, agressões físicas e verbais, infelicidade) está o estelionato, como citado acima.

O escritor Renato Cardoso, autor do livro “Casamento Blindado”, que está entre os mais vendidos, nos lembra que as pessoas se deixam enganar pela mentira de que “todos os bons partidos já estão comprometidos”. Muitos solteiros acabam acreditando que o número de pessoas disponíveis é cada vez menor e é preciso escolher com urgência. E essa mentira desperta o desespero.

“Segundo o IBGE/PNAD, o número de pessoas solteiras no Brasil é de 64,3 milhões”, esclarece o Renato Cardoso. “ Mas esse número não inclui divorciados, viúvos, separados (com eles, o número passa dos 70 milhões). O número de solteiros em nosso país também é bem acima do número de casados. Ou seja, há mais gente disponível para um relacionamento do que não. ”

Ou seja: na hora de escolher um namorado, não é preciso ter pressa ou deixar que o medo de ficar sozinho coloque “o carro na frente dos bois”. Pode-se escolher bem, de acordo com seus padrões de caráter e conforme sua vida espiritual ordena.

Não caia em golpes

Sabendo que é possível ter calma na hora de escolher um namorado, lembre-se de que um dos elementos mais importantes em um relacionamento é a confiança. Mas, para que ela exista, é preciso conhecer bem a outra pessoa.

“Você não pode confiar em quem não conhece. Confiança exige conhecimento. Você tem que saber, por fontes e formas confiáveis, que aquela pessoa é digna de um relacionamento com você e, futuramente, de seu amor e entrega total”, afirma Renato Cardoso, que também é autor do livro “Namoro Blindado”.

De acordo com ele, atualmente as pessoas não investem tanto tempo e disposição em conhecer o namorado, dando mais valor a atender aos desejos carnais em primeiro lugar e, consequentemente, se ferindo logo a seguir:

“É possível conhecer alguém por Facebook? Dá para conhecer uma pessoa somente pelo que ela fala de si mesma? Você tem buscado referências daquela pessoa com quem a conhece bem ou só tem confiado em suas palavras bonitas? Você tem dado tempo suficiente para conhecer alguém antes de pular na cama ou ir morar com ele (a)? Se você não conhecer bem, provavelmente não poderá confiar. E se confiar cegamente, provavelmente se decepcionará. ”

Para que essas decepções não estejam presentes em sua vida participe da Terapia do Amor, que acontece todas as quintas-feiras, na Universal, e descubra como construir um relacionamento blindado.

Fonte: Universal.org