Todo casal enfrenta problemas ou dificuldades no relacionamento. Sejam eles de ordem financeira, familiar, divergência de opiniões, incompatibilidade de gênios, etc. Alguns mais, outros menos, mas de modo geral todos os casais passam por isso.

Muitos, porém, com o passar dos anos, aprendem a driblar esses problemas, a superarem as dificuldades, a se ajustarem às diferenças e, assim, conseguem viver em harmonia.

Outros, entretanto, vivem em “pé de guerra”, são incapazes de dialogar e, a cada tentativa, acabam discutindo e, o que é pior, sem chegar a um consenso.

Vivem a infindável batalha de tentar convencer o outro de que ele é quem está errado. Se não caírem em si, se não mudarem de postura dentro do relacionamento, estarão fadados, se não ao divórcio, a viver um relacionamento frustrado.

Se você se encaixa nesse perfil de casal problemático e deseja uma mudança no seu relacionamento, comece pondo em prática essas 5 dicas do casal Renato e Cristiane Cardoso e surpreenda-se com o resultado:

Reclamações repetitivas – Existe alguma reclamação que o seu parceiro sempre faz e que você já está cansado de ouvir? Se existe, provavelmente, toda vez que ele toca no assunto você tapa os ouvidos e ignora o que ele está dizendo. Você sempre fica na defensiva, afinal, já ouviu aquela história antes e ela não parece fazer nenhum sentido para você. Mas será que o que ele está dizendo é tão sem sentido assim?

Quando o cônjuge reclama sobre o mesmo assunto constantemente é sinal de que você deve considerar o que ele está dizendo, por mais absurdo que pareça. Ouça com atenção em vez de ficar se defendendo. Tente entender o ponto de vista dele.

Reclamações repetitivas mostram que existe realmente algo que incomoda o seu parceiro e, se não for resolvido, trará outros problemas para vocês no futuro. Decida cortar o mal pela raiz. Nunca subestime uma reclamação repetitiva.

Não espere sentir vontade – Normalmente sentimos vontade de fazer a coisa errada, mas raramente a coisa certa. Temos vontade de nos divertir quando temos que trabalhar; de comer o que gostamos quando precisamos manter a dieta; e de nos vingar de quem nos magoou quando precisamos perdoar. Mas o contrário não acontece. Isso porque o nosso coração gosta do que é mais cômodo para nós.

Se você esperar sentir vontade para fazer a coisa certa, provavelmente nunca irá fazê-la, por isso nunca deixe de fazer o que é certo pelo seu parceiro só porque você não está com vontade. Dê carinho, atenção, ouça o seu cônjuge, perdoe, releve as coisas insignificantes, sacrifique, elogie, faça tudo isso mesmo sem vontade. Ir contra a própria vontade para fazer o que é certo pelo seu parceiro é a maior prova de amor que você pode dar a ele.

Seja o primeiro –Muitos ficam esperando que o parceiro faça algo primeiro para depois fazerem. Dizem que mudarão quando o parceiro mudar, serão carinhosos quando o parceiro for, que pedirão perdão quando o outro pedir. Mas essa espera é receita para frustração e aumento dos problemas. Em vez de ficar esperando que o seu cônjuge faça algo, faça você primeiro. Seja o primeiro a mudar, o primeiro a pedir perdão, a agradar, a sacrificar e a pedir ajuda para salvar o seu casamento.

Ser o primeiro a fazer essas coisas não lhe inferioriza, nem faz de você um bobo. Pelo contrário, isso prova que você é o mais forte e o faz receber aquilo que tanto deseja da pessoa amada.

Dê um jeito no seu jeito – Muitas vezes somos forçados a mudar para agradar a outras pessoas ou para nos ajustar a alguma situação. Mudamos, por exemplo, para agradar ao patrão, conviver com um colega de trabalho, manter o emprego. Mas por que temos tanta resistência em mudar para manter o casamento, sendo que ele é mais importante do que a vida profissional?

As pessoas justificam o seu mau comportamento na relação dizendo que é o “seu jeito de ser”. Grosseria, desorganização, nervosismo, orgulho, isolamento, tudo isso se explica sob a alegação de que faz parte da personalidade.

Enquanto as pessoas pensarem assim, os problemas nunca vão acabar. Você tem que olhar para essas características como pontos que precisam ser trabalhados e mudados, e não como coisas com as quais o seu cônjuge é obrigado a conviver. Não deixe o seu temperamento destruir o seu casamento. Dê um jeito no seu jeito.

Não se faça de vítima – Muitas vezes a pessoa culpa o cônjuge ou familiares por todos os problemas que enfrenta no casamento. Acredita que se o parceiro mudasse ou terceiros não interferissem, não teriam problemas. Mas não é bem assim.

A mentalidade de vítima faz você focar nos erros dos outros e lhe deixa cego em relação aos seus próprios. Quando você reclama, julga, acusa o cônjuge ou outras pessoas, se torna uma pessoa difícil de conviver e o seu parceiro acaba perdendo a admiração que tem por você.

Não se faça de vítima, em vez de culpar o seu parceiro ou quem quer que seja pelos problemas no seu casamento, procure saber em que você está errando e faça diferente.